Autor: Editor

É possível tratar rugas e linhas de expressão

É possível tratar rugas e linhas de expressão

É normal durante a juventude não darmos muita importância aos cuidados com a pele. Atitudes como não usar creme hidratante, abusar do consumo de álcool, não beber a quantidade necessária de água, ficar muito tempo exposto ao sol, entre outras, prejudicam a firmeza e a vitalidade da pele do rosto favorecendo o aumento de rugas e linhas de expressão.

O problema é que, na fase adulta, a pele da mulher começa a dar os primeiros indícios de envelhecimento, e os resultados desse descuido anterior começam a aparecer. Nossas expressões faciais passam a ter marcas de expressão, manchas e até rugas.

Os sinais iniciais desse envelhecimento precoce são presenciados pelo surgimento de manchas de sol e ressecamentos causados pela perda de colágeno e elastina, proporcionando assim a redução da firmeza e da elasticidade da pele.

Mas qual a diferença entre rugas e linhas de expressão?
As linhas de expressão são causadas após a movimentação dos músculos do rosto. Se a pele tem produção de colágeno e elastina, comum em rostos de pessoas jovens, o movimento do músculo da pele volta ao seu estado normal sem deixar marcas.

Leia também: Creme para rugas

Já as rugas são linhas que ficam na nossa pele quando não conseguirmos mais contrair os músculos do rosto. Existem alguns cuidados simples e bastante eficazes que devem entrar na sua lista de cuidados para prevenir as rugas. Veja 10 dicas para ter um resultado mais rápido no tratamento da sua pele.

Leia também: Skin renov é bom

Além disso, você pode potencializar esses resultados utilizando a linha de tratamento Revitée. Não deixe para depois, comece a tratar da sua pele hoje.

Remédios para emagrecer: funcionam mesmo?

Remédios para emagrecer: funcionam mesmo?

Quando o excesso de peso representar um risco à saúde ou quando houver ineficácia no tratamento de base, os remédios para emagrecer podem ser usados, mas com acompanhamento médico.

Ao longo da história da sociedade humana, o padrão de beleza se mostrou bastante variável de acordo com o tempo e o lugar. Houve uma época, no Renascimento, em que a mulher considerada bonita tinha que ser mais “cheinha”, pois isso indicava que ela tinha uma condição econômica que a permitia se alimentar “bem”, algo raro naquela época.

Leia também: Phytophen é bom

Hoje ocorre o contrário, o padrão de beleza é uma mulher dotada de uma magreza que beira a desnutrição. No entanto, ambos os padrões citados contrariam as normas de saúde e bem-estar. Problemas como a anorexia e a bulimia têm sido desencadeados em razão da imposição de um padrão de beleza que ataca a autoestima das pessoas (e que, muitas vezes, não é nem mesmo possível de ser alcançado, mantendo-se a saúde).

Por outro lado, a obesidade é sim um fator de alto risco de saúde, sendo considerada pela Organização Mundial da Saúde (OMC) como uma doença crônica, que pode levar a problemas cardíacos, diabetes, colesterol alto, etc.

Assim, muitas pessoas obesas – principalmente jovens, que são bastante influenciáveis pela mídia, propagandas e conceitos de outras pessoas – acabam recorrendo ao uso de drogas (remédio, fármacos e medicamentos) como tratamento contra a obesidade. Mas surgem várias dúvidas:

Será que os remédios realmente ajudam a emagrecer?
Quais os riscos e benefícios desse tipo de tratamento?
Só os remédios já são suficientes para a pessoa deixar de ser obesa?
Entender a composição química desses medicamentos e seus efeitos pode ajudar a esclarecer esses questionamentos.

A Química desenvolveu várias drogas que são, sim, extremamente importantes no tratamento contra a obesidade. Por exemplo, algumas agem no hipotálamo, que é a parte do cérebro que atua no controle do apetite. Desse modo, existem fármacos que diminuem a fome (catecolaminérgicos) e outros que aumentam a saciedade (serotoninérgicos).

Existem também aqueles que diminuem a absorção de gorduras.

No Brasil, no ano de 1999, tivemos o lançamento do orlistat (Xenical®), primeiro inibidor seletivo de lipases intestinais, as quais são responsáveis pela clivagem e posterior absorção dos ácidos graxos.

No entanto, se esses “remédios para emagrecer” não forem administrados na forma correta, podem até mesmo matar. Casos desse tipo ocorrem com o uso de anfetaminas, substâncias orgânicas do grupo das aminas, que atuam no sistema nervoso central, diminuindo a sensação de fadiga e reduzindo o apetite. A principal anfetamina é a benzedrina, cuja fórmula está representada a seguir:

Não pare agora… Tem mais depois da publicidade 😉
Esse medicamente, conhecido como “bolinha”, não pode ser usado sem recomendação médica, pois seus efeitos colaterais são muito perigosos. Além da dependência química, outros efeitos são: dores de cabeça, palpitações, aumento crônico da pressão arterial e “psicose de anfetamina”, que é uma crise parecida com a esquizofrenia, na qual a pessoa tem alucinações e se torna mais agressiva.

Estudos mostram que alunos que usam anfetaminas têm o seu comportamento alterado, tornando-se agressivos, desrespeitosos, descuidados, desinteressados e ao fazerem exames escolares, ficam inseguros e podem responder coisas que não estão relacionadas aos assuntos pedidos nas questões.

O maior problema do uso desses remédios é a falta de orientação médica. Muitos usam esses remédios sem necessidade. Além disso, um fato que a pessoa deve ter em mente é que o uso de drogas no tratamento contra a obesidade e até mesmo a realização de procedimentos médicos não são suficientes para a perda permanente de peso.

É por isso que o Ministério da Saúde realizará uma campanha em mais de 2.500 municípios, dos dias 5 a 9 de março de 2012, com o tema: Prevenção da obesidade na infância e na adolescência, iniciativa integrada ao Programa Brasil sem Miséria, lançado pela Presidência da República em 2011. Essa campanha promoverá diversas ações que visam prevenir e controlar a obesidade, em escolas públicas do país, de educandos na faixa etária de 5 a 19 anos.

Leia também: Kifina funciona

Será mostrado que o tratamento da obesidade se baseia em exercícios físicos e em mudanças dos hábitos alimentares. Quando o excesso de peso representa um risco à saúde ou ocorre uma ineficácia do tratamento de base, é necessário então um acompanhamento de apoio ao paciente por especialistas.

Esse acompanhamento será feito por equipes de Saúde da Família ligadas à Unidade de Saúde Básica (UBS), que se deslocarão até à escola para examinar as crianças e desenvolver práticas educativas de promoção, prevenção e avaliação das condições de saúde. Além disso, também serão programadas visitas da comunidade às Unidades Básicas de Saúde, ação prevista dentro da estratégia Saúde Mais Perto de Você.

Leia também: Comprimido para emagrecer anvisa

Somente nos casos citados em que há risco de saúde e quando a mudança nos hábitos alimentares aliada a atividades físicas não funcionar, é que os médicos decidem se é necessário que se associem ou não medicamentos ou procedimentos cirúrgicos. Para tal, são considerados vários fatores, tais como a faixa etária, o sexo, o tipo físico, a constituição familiar, racial, fatores culturais e avaliação dos hábitos alimentares.

Principais Causas da Impotência Sexual

Principais Causas da Impotência Sexual

Uso excessivo de certos remédios, depressão, tabagismo, alcoolismo, traumas, diminuição da líbido ou doenças hormonais são algumas das causas que levam à impotência sexual, um problema que impede o homem de ter um contato íntimo satisfatório.

A impotência sexual, também conhecida como disfunção erétil, é a dificuldade ou incapacidade para ter ou manter uma ereção, em pelo menos 50% das tentativas para ter um contato sexual. Em alguns casos, o que pode acontecer é que a ereção não é suficientemente rígida para que possa haver penetração.

1. Uso prolongado de remédios
Alguns remédios utilizados para tratar problemas crônicos, como pressão alta ou depressão, podem ter um efeito colateral a longo prazo que leva à impotência masculina. Alguns dos casos mais frequentes acontecem com o uso prolongado de antidepressivos, anti-hipertensivos ou antipsicóticos, mas outros também podem causar esse problema.

Assim, caso se esteja utilizando algum medicamento por muito tempo, o melhor é consultar a bula para identificar se pode ter esse efeito ou, então, consultar o médico que o receitou.

2. Consumo excessivo de bebidas alcoólicas ou cigarro
Além de afetar negativamente todo o corpo, a dependência de bebidas alcoólicas ou cigarro, também afeta a região genital, dificultando a circulação do sangue que é necessário para iniciar e manter a ereção.

Assim, homens que fumam ou que consomem bebidas alcoólicas em excesso, ao longo dos anos podem apresentar uma maior dificuldade para ter uma ereção, podendo acabar por desenvolver impotência.

3. Problemas hormonais
Problemas que causam alterações hormonais, como hipotireoidismo ou diabetes, por exemplo, podem afetar todo o metabolismo e funcionamento sexual do corpo, contribuindo para a impotência. Entenda melhor como a diabetes pode afetar a capacidade sexual.

Além disso, existem casos em que o copro do homem tem maior dificuldade para produzir hormônios sexuais, como a testosterona, que diminuem a libido e podem causar dificuldade para ter uma ereção.

4. Depressão e outra doenças psicológicas
As doença psicológicas, como a depressão ou os transtornos de ansiedade causam muitas vezes sentimentos negativos como medo, ansiedade, nervosismo e insatisfação, que acabam deixando o homem pouco confortável no momento do contato íntimo.

5. Uso de drogas
Uma boa parte das drogas, assim como o álcool ou o cigarro, também causam impotência ao longo prazo, não apenas devido à diminuição da circulação para a região genital, mas também devido às alterações psicológicas que causam, levando ao distanciamento do mundo real.

Algumas das drogas que são mais frequentemente relacionadas à disfunção eréctil incluem a cocaína, a maconha ou a heroína, por exemplo. Veja outros efeitos negativos da droga no corpo.

6. Excesso de peso ou obesidade
O excesso de peso pode causar impotência de duas formas diferentes. Primeiro, aumenta o risco de ter doenças cardiovasculares, como a aterosclerose, que dificultam a circulação do sangue e impedem uma ereção satisfatória e, depois, também diminui a produção do hormônio testosterona, que é o principal responsável pela libido no homem.

Assim, a perda de peso e a prática regular de exercício físico é uma ótima forma de combater a impotência sexual, especialmente quando se está acima do peso ideal. Veja como calcular facilmente qual o seu peso ideal.

7. Alterações no órgão sexual
Embora seja mais raro, o desenvolvimento de impotência sexual também pode surgir devido a pequenas deformidades no pênis, como fibrose, cistos ou alterações anatômicas, que dificultam a passagem do sangue.

Por isso, se não existe nenhuma outra causa que possa justificar a impotência, é aconselhado consultar um urologista para avaliar a anatomia do órgão sexual.

8. Doenças neurológicas
Vários problemas neurológicos apresentam um risco muito elevado de causar impotência no homem. Isso porque, problemas nos nervos podem dificultar a comunicação do cérebro com o órgão sexual, dificultando a ereção.

Leia também: remédios para ereção

Algum problemas neurológicos que parecem estar relacionados com o aparecimento da disfunção erétil incluem Alzheimer, Parkinson, tumores cerebrais ou esclerose múltipla, por exemplo.

O que fazer em caso de impotência
Quando existem sintomas como dificuldade para ter ou manter uma ereção, ereção flácida, redução do tamanho do órgão sexual ou dificuldade em manter contato íntimo em algumas posições sexuais é recomendado consultar o médico, para que este possa identificar a causa da impotência sexual e iniciar o tratamento mais adequado.

A impotência sexual pode ser tratada de diferentes formas que dependem da causa do problema, podendo ser recomendada a toma de remédios como Viagra ou Cialis, terapia com hormônios, uso de aparelhos de vácuo ou cirurgia para colocação de próteses no pênis

Anorgasmia e Disorgomesmia

Anorgasmia refere-se à impossibilidade de atingir o orgasmo e a disorgasmia, um distúrbio do orgasmo.

O orgasmo é uma sensação de prazer intenso e transitório que cria um estado modificado de consciência acompanhado por contrações involuntárias da musculatura perineal (especialmente anal).

O orgasmo é geralmente acompanhado de ejaculação para um homem e contrações uterinas para uma mulher.

Na última grande pesquisa sobre a sexualidade dos franceses, 7% das mulheres de 18 a 69 anos disseram que muitas vezes tiveram dificuldades de orgasmo nos últimos 12 meses, 29% às vezes, 29% raramente e 35% nunca. Se adicionarmos mulheres que muitas vezes ou às vezes têm dificuldade em orgasmo, elas parecem relativamente estáveis ​​em torno de 33% entre 18 e 49 anos, depois aumentam para 41% em 50 a 59 anos para 50% em 60 a 69 anos.

Nesta pesquisa, os homens não foram questionados sobre este ponto; no entanto, 91% dos homens (comparado a 76% das mulheres) relataram ter tido um orgasmo durante seu último encontro sexual.

Entre os distúrbios do orgasmo ( disorgasmia ), distingue-se a anorgasmia (ausência de orgasmo). A disorgasia pode ser primária (sempre) ou secundária (após um período sem dificuldades). Também pode ser generalizado (em todas as situações) ou situacional (em certas situações).

Alguém que atinge o orgasmo na masturbação a solo mas nunca teve orgasmo com um parceiro sofreria de anorgasmia situacional primária.

O limiar orgásmico corresponde ao nível de excitação, como a liberação de substâncias químicas que é acionada no cérebro e produz a sensação de prazer extremo que caracteriza o orgasmo.
Caso você seja mulher e esteja com problemas para chegar lá nós te apresentamos o melhor produto do mercado, o Tá tarada.

Para um homem, as manifestações neurobiológicas são geralmente contemporâneas à ejaculação, mas podem ser dissociadas (ejaculação retrógrada, sexo tântrico, etc.).

As contrações dos músculos perineais acompanham o orgasmo e as contrações anais também são um sinal relativamente confiável de sua ocorrência, tanto para homens quanto para mulheres.

O limiar de excitação orgásmica é muito variável e depende de muitos parâmetros. De uma forma bastante esquemática, podemos distinguir estímulos sensoriais (relacionados a diferentes sentidos – visão, audição, audição, olfato, paladar – mas também as posições e movimentos do corpo) e excitações psíquicas (pensamentos relacionados, fantasias, se houver, emoções). É, no entanto, ilusório afirmar que se separa o corpo e a mente, pois é em última análise no cérebro que ocorre a integração dos diferentes sistemas.. A mesma mensagem sensorial, por exemplo uma carícia da face de uma pressão e uma determinada temperatura, será interpretada diferentemente pelo cérebro de acordo com se é dado por nosso filho, nosso parceiro sexual ou um estranho em um ônibus! De uma maneira mais sutil, perceberemos diferentemente a mesma estimulação genital de acordo com nosso estado de ânimo e estado de desejo.

Estudos realizados com homens e mulheres que têm orgasmos facilmente mostrar que / eles não hesitam em recorrer a imagens mentais emocionantes (envolvendo ou não o / a parceiro sexual ()) e a estimulação física eficaz para aumentar sua excitação. Também é necessário definir o que é para uma determinada pessoa, em um dado momento, uma estimulação física efetiva.

Para a maioria das mulheres, deve-se notar, por exemplo, que a penetração vaginal é menos eficaz em atingir o orgasmo (apesar de estimular o sistema clitoridocalcal em profundidade) do que a estimulação manual ou oral do clitóris. Para outros, a penetração vaginal suficientemente prolongada é a única maneira de ter um orgasmo.

Não é incomum ver homens e mulheres incapazes de atingir o orgasmo em sexo oral receptivo (recebendo cunilíngua ou sexo oral) ou quando o outro se masturba, mesmo se a excitação psíquica fornecida por essas práticas sexuais são intensas porque a excitação sensorial pode ser, por sua vez, muito limitada.

Para outros, o “déficit de excitação sensorial” é largamente compensado por um excesso de excitação psíquica que faz o orgasmo ser (ou mais!) Acessível do que pela penetração. A sodomia receptiva (sendo penetrada analmente) é o exemplo clássico de uma prática que pode levar ao orgasmo quando o investimento erótico é grande o suficiente. Finalmente, algumas mulheres precisam de estimulação do clitóris associada à penetração vaginal para atingir o orgasmo durante a penetração.

Algumas áreas do cérebro também devem ser desligadas para atingir o orgasmo. Os sexólogos falam de “deixar ir” para qualificar essa capacidade de serem levados por suas sensações eróticas e atravessar o limiar do orgasmo.

Muitas situações podem complicar o abandono: ansiedade, desconforto, estresse, depressão, preocupação com a imagem corporal ou auto-imagem, falta de confiança no parceiro, medo da ausência contracepção, continência urinária, dor, etc.

Principais Causas da Impotência Sexual

Principais Causas da Impotência Sexual

Uso excessivo de certos remédios, depressão, tabagismo, alcoolismo, traumas, diminuição da líbido ou doenças hormonais são algumas das causas que levam à impotência sexual, um problema que impede o homem de ter um contato íntimo satisfatório.

A impotência sexual, também conhecida como disfunção erétil, é a dificuldade ou incapacidade para ter ou manter uma ereção, em pelo menos 50% das tentativas para ter um contato sexual. Em alguns casos, o que pode acontecer é que a ereção não é suficientemente rígida para que possa haver penetração.

1. Uso prolongado de remédios
Alguns remédios utilizados para tratar problemas crônicos, como pressão alta ou depressão, podem ter um efeito colateral a longo prazo que leva à impotência masculina. Alguns dos casos mais frequentes acontecem com o uso prolongado de antidepressivos, anti-hipertensivos ou antipsicóticos, mas outros também podem causar esse problema.

Assim, caso se esteja utilizando algum medicamento por muito tempo, o melhor é consultar a bula para identificar se pode ter esse efeito ou, então, consultar o médico que o receitou.

2. Consumo excessivo de bebidas alcoólicas ou cigarro
Além de afetar negativamente todo o corpo, a dependência de bebidas alcoólicas ou cigarro, também afeta a região genital, dificultando a circulação do sangue que é necessário para iniciar e manter a ereção.

Assim, homens que fumam ou que consomem bebidas alcoólicas em excesso, ao longo dos anos podem apresentar uma maior dificuldade para ter uma ereção, podendo acabar por desenvolver impotência.

3. Problemas hormonais
Problemas que causam alterações hormonais, como hipotireoidismo ou diabetes, por exemplo, podem afetar todo o metabolismo e funcionamento sexual do corpo, contribuindo para a impotência. Entenda melhor como a diabetes pode afetar a capacidade sexual.

Além disso, existem casos em que o copro do homem tem maior dificuldade para produzir hormônios sexuais, como a testosterona, que diminuem a libido e podem causar dificuldade para ter uma ereção.

4. Depressão e outra doenças psicológicas
As doença psicológicas, como a depressão ou os transtornos de ansiedade causam muitas vezes sentimentos negativos como medo, ansiedade, nervosismo e insatisfação, que acabam deixando o homem pouco confortável no momento do contato íntimo.

5. Uso de drogas
Uma boa parte das drogas, assim como o álcool ou o cigarro, também causam impotência ao longo prazo, não apenas devido à diminuição da circulação para a região genital, mas também devido às alterações psicológicas que causam, levando ao distanciamento do mundo real.

Algumas das drogas que são mais frequentemente relacionadas à disfunção eréctil incluem a cocaína, a maconha ou a heroína, por exemplo. Veja outros efeitos negativos da droga no corpo.

6. Excesso de peso ou obesidade
O excesso de peso pode causar impotência de duas formas diferentes. Primeiro, aumenta o risco de ter doenças cardiovasculares, como a aterosclerose, que dificultam a circulação do sangue e impedem uma ereção satisfatória e, depois, também diminui a produção do hormônio testosterona, que é o principal responsável pela libido no homem.

Assim, a perda de peso e a prática regular de exercício físico é uma ótima forma de combater a impotência sexual, especialmente quando se está acima do peso ideal. Veja como calcular facilmente qual o seu peso ideal.

7. Alterações no órgão sexual
Embora seja mais raro, o desenvolvimento de impotência sexual também pode surgir devido a pequenas deformidades no pênis, como fibrose, cistos ou alterações anatômicas, que dificultam a passagem do sangue.

Por isso, se não existe nenhuma outra causa que possa justificar a impotência, é aconselhado consultar um urologista para avaliar a anatomia do órgão sexual.

8. Doenças neurológicas
Vários problemas neurológicos apresentam um risco muito elevado de causar impotência no homem. Isso porque, problemas nos nervos podem dificultar a comunicação do cérebro com o órgão sexual, dificultando a ereção.

Leia também: o que é Aumento peniano

Algum problemas neurológicos que parecem estar relacionados com o aparecimento da disfunção erétil incluem Alzheimer, Parkinson, tumores cerebrais ou esclerose múltipla, por exemplo.

O que fazer em caso de impotência
Quando existem sintomas como dificuldade para ter ou manter uma ereção, ereção flácida, redução do tamanho do órgão sexual ou dificuldade em manter contato íntimo em algumas posições sexuais é recomendado consultar o médico, para que este possa identificar a causa da impotência sexual e iniciar o tratamento mais adequado.

A impotência sexual pode ser tratada de diferentes formas que dependem da causa do problema, podendo ser recomendada a toma de remédios como Viagra ou Cialis, terapia com hormônios, uso de aparelhos de vácuo ou cirurgia para colocação de próteses no pênis. Veja mais sobre este problema e quais as opções de tratamento disponíveis.

O papel da próstata nos problemas sexuais

Sua próstata também pode ser a causa de seu problema de ereção durante o ato. De fato, de acordo com estudos realizados por especialistas em saúde sexual, a grande maioria da disfunção erétil pode ser atribuída a uma causa física .

No caso de uma quebra durante a penetração, seria a aterosclerose que estaria na origem. Esta degeneração de suas artérias pode realmente causar problemas de tráfego. Estes irão realmente desacelerar seu fluxo de sangue. E, portanto, impedir que você mantenha sua ereção durante o ato. Se você teve uma próstata removida, pode ter afetado os nervos. Isso impedirá que você se dobre facilmente e por um longo tempo.

Outras causas que podem explicar sua disfunção erétil são:

  • um nível de testosterona que é muito baixo Neste caso, é possível tomar suplementos particularmente eficazes como o Testo Ultra
  • hipertensão;
  • diabetes;
  • esclerose mtipla;
  • problemas vasculares;
  • tomar tratamentos anti-depressivos, como antidepressivos e ansiolíticos.

Tenha cuidado, no entanto, porque essas causas fisiológicas estão cavando apenas se você tiver dificuldades recorrentes de curativo. Não apenas um problema de ereção durante o ato. Caso contrário, será uma origem psicológica.

Conheça o produto chamado Max Gel, ele esta exterminando os problemas sexuais.

Entre em contato com seu parceiro

Se a origem do seu problema de ereção durante o ato é mental, a primeira solução é a comunicação. Claro, a primeira pessoa com quem você precisa conversar é um médico. Ele pode ajudá-lo a esclarecer seu diagnóstico. E é especialmente ele quem terá que prescrever um tratamento oral, se é essa a solução que você deseja privilegiar.

Mas em primeiro lugar você tem que conversar com seu parceiro sobre isso . Na verdade, ela também pode sofrer de seu distúrbio de ereção. E imagine que é diretamente a causa (porque não o excita bastante). Mesmo que você se sinta extremamente frustrado com a situação e se sinta envergonhado, você realmente não pode evitar o assunto.

Além disso, seu parceiro pode ser um precioso aliado para ajudá-lo a superar essa dificuldade. Além de tranquilizá-lo sobre seu desempenho e ajudá-lo a recuperar a autoconfiança. Mas também mostrando como satisfazê-la sem o seu sexo (com sua língua, seus dedos). Isso permitirá que você alivie a pressão de uma ereção dura e longa. Além disso, alguns gostam de ser penetrados por um sexo que não é totalmente ereto.

E você descobrirá novas sensações. E ainda consegue se curvar mais facilmente uma vez estimulado dentro de sua vagina.

Em qualquer caso, esteja aberto a discussões e seja honesto com o seu parceiro . Esta é a melhor maneira de agir sobre a principal causa do seu problema de ereção durante o ato: estresse! E tudo de uma maneira 100% natural.

Faça uma pausa

Pausa no seu intercurso (pelo menos com penetração) pode ser outra opção. Estudos mostraram que evitar a penetração por pelo menos 2 a 3 semanas aliviaria o estresse. E assim, para se dobrar novamente normalmente. Você será capaz de recuperar sua autoconfiança.

Faça pausas também durante o ato se sentir que o estresse começa a aumentar. Atrase a penetração e permaneça nas preliminares para que você tenha tempo suficiente para ser acalmado. E animado! Sua namorada não vai reclamar, pelo contrário!

Tratamentos médicos

Alguns tratamentos médicos podem ser interessantes para o seu problema de ereção durante o ato. Existem muitos comprimidos para curativos no mercado, mas nem todos são iguais. Você pode recorrer ao tratamento oral sem receita médica. Como o macho extra que aumenta sua libido e permite que você se dobre por mais tempo. Ou medicamentos como Viagra , Cialis ou Levitra , que só estão disponíveis com receita médica do seu médico.

Tenha cuidado, porque eles precisam ser sexualmente estimulados a agir. Mas eles permitem dobrar mais. E reduza a latência entre cada uma das suas ereções. Estes são impulsos temporários que lhe permitirão ter vários relatórios bem sucedidos. E assim, para recuperar a confiança em você.

Isso não reduzirá totalmente o seu problema de estresse. Mas você ainda vai superar seus fracassos momentaneamente. No entanto, esteja ciente das contra-indicações e riscos dos efeitos colaterais que esses tratamentos apresentam.

Para mim, a descoberta de Praltrix mudou muitas coisas. Como eu expliquei a você em mais detalhes aqui , eu não estava esperando muito mais quando descobri o efeito que pode ter alguns ingredientes especiais na resolução de problemas de ereção.

Mude seus hábitos

Algumas mudanças em sua vida cotidiana também podem ajudá-lo a ter um melhor desempenho sexual. Começando com sua dieta. Porque o excesso de peso é muito alto colesterol pode impedir que você mantenha sua ereção por mais tempo. Comece adotando uma dieta mais saudável (e benéfica para a sua circulação e suas funções cardiovasculares) se você acha que isso pode ser a causa de seu problema de ereção durante o ato.

Também pare de considerar o álcool um bom afrodisíaco. Se você tiver problemas com a sua auto-estima e tiver medo de não se sair bem o suficiente, pode ser tentado a beber para se desinibir . Não só pode ser contraproducente se você tomar estimulantes sexuais, mas o mais importante, pode reduzir sua capacidade de curativo. Limite seu consumo a algumas bebidas. E beba ocasionalmente e não necessariamente antes de fazer sexo.

Repita o exercício se você ficou inativo por muito tempo. Comece com cardio ou treinamento de força por 20 a 30 minutos por dia. Isso ajudará você a aumentar sua libido. Você também será mais enérgico e menos estressado. O exercício também é uma ótima maneira de reduzir a pressão arterial, melhorar a circulação sanguínea e, portanto, seu desempenho sexual.

10 dietas para emagrecer com saúde: veja o cardápio

10 dietas para emagrecer com saúde: veja o cardápio

Mudanças simples na alimentação podem fazer você perder barriga

Para conseguir uma perda de peso saudável e duradoura é importante investir em bons hábitos alimentares. Para isso, existem diferentes tipos de dietas para emagrecer e cada uma utiliza seu próprio método, de acordo com a finalidade desejada.

Fazer uma dieta para emagrecer é adquirir hábitos alimentares com o intuito de perder, manter ou ganhar peso. Para perder peso com saúde, é necessário que o corpo gaste mais calorias do que consome. Por isso, normalmente, dietas são usadas em conjunto com a prática de exercícios físicos para emagrecer.

Dicas simples para uma dieta de sucesso
Não fique mais do que 4 horas sem se alimentar
Durma bem. Durante o sono, nosso organismo produz a leptina, hormônio capaz de controlar a sensação de saciedade durante todo o dia
Beba pelo menos 2 litros por dia
Invista na salada. Ela ajuda a enganar o estômago e comer menos nas refeições. Procure verduras e legumes que você goste e não sejam muito calóricos
Prefira os alimentos integrais. Eles contêm mais nutrientes e fibras, que fazem um bem danado para o seu organismo
Evite a ingestão de sal e alimentos com muito sódio, que favorecem a retenção de líquidos
Prefira preparações menos calóricas, como assados, cozidos ou a vapor. Alimentos gratinados, fritos, à parmegiana ou à milanesa devem ser evitados
Procure ajuda de nutricionistas ou nutrólogos
Se exagerar em algum dia, não desista. Recomece novamente no dia seguinte.
Saiba mais: Está pensando em desistir? Temos 20 dicas para você persistir na dieta
Sugestões de cardápio para emagrecimento saudável
Abaixo vemos a distribuição calórica por refeição baseada em uma dieta de 2000 kcal, composta por 6 refeições diárias.

Leia também: Phytophen funciona

Refeição Sugestão
Café da manhã Invista em frutas, cereais, pães integrais e oleaginosas. Para beber: sucos naturais, água de coco, chás, leite ou café. Um café da manhã ideal pode ter 20% do consumo diário, cerca de 400 kcal.
Lanche da manhã Esta refeição deve ser leve e rápida, com alimentos de baixo índice glicêmico (devagar absorção). Invista em frutas, oleaginosas, alimentos naturais e integrais. Para beber: sucos naturais, chás ou água de coco. O lanche da manhã ideal pode ter 5% do consumo diário, cerca de 100 kcal.
Almoço O prato recomendado para o almoço é dividido em quatro partes: duas partes preenchidas com saladas e legumes, uma parte com fontes de carboidrato e uma parte com fontes de proteína. Para beber: sucos naturais ou chás. O almoço ideal pode ter 30% do consumo diário, cerca de 600 kcal.
Lanche da tarde Faça lanches que contenham carboidrato, proteína e gordura boa. Dê preferência aos alimentos naturais e integrais. Outras boas sugestões são as frutas secas, cereais ou castanhas. Para beber: café, chás ou iogurtes. O lanche da tarde pode ter 15% do consumo diário, cerca de 300 kcal
Jantar Carboidratos, proteínas (de digestão simples), gorduras, vitaminas e minerais devem ser fornecidos adequadamente. Frutas e legumes são bons alimentos para essa refeição. Para beber: sucos naturais e chás. A janta pode ter 25% do consumo diário, 500 kcal
Ceia Escolha um lanche rico em proteína. se quiser, pode adicionar uma fruta, que é um carboidrato leve ou, no máximo, 1 torrada integral. A ceia pode ter 5% do consumo diário, 100 kcal
Este exemplo pode variar de acordo com os hábitos alimentares e necessidades de cada indivíduo, mas a partir dele podemos observar que não se deve restringir a alimentação comendo muito pouco em alguns períodos e exagerando em outros.

Leia também: Fit Mzt anvisa

Receitas para emagrecer

Receita de suco de limão, com chá verde e couve

14 receitas fit (deliciosas) da nutricionista da Bruna Marquezine
4 receitas deliciosas de frango com batata doce
20 receitas de doces para você comer sem culpa
Banana: 14 receitas saudáveis, deliciosas e com poucas calorias
15 melhores receitas para emagrecer que você PRECISA conhecer
Dietas para emagrecer
Confira as dietas mais populares que podem ajudar no emagrecimento. Ao clicar no conteúdo, você também pode ver seus benefícios, cardápios e receitas:

Dieta low carb
Dieta dos pontos
Dieta Dukan
Dieta da proteína
Dieta da USP
Dieta paleolítica
Dieta cetogênica
Dieta Detox
Dieta do ovo cozido
Dieta mediterrânea
Saiba mais: Receita para emagrecer: Suco detox
Em nosso site, você ainda pode descobrir seu peso ideal e a dieta mais adequada para você.

Lembrando que ao pensar em aderir uma dieta, o melhor a fazer é procurar ajuda de um profissional, como nutricionista, nutrólogo ou endocrinologista.

Saiba mais: Jejum intermitente: como funciona e benefícios da dieta
Lanche fácil e com poucas calorias para emagrecer

Pipoca sem óleo no micro-ondas: aprenda esta receita fácil e saudável

Uso de medicamentos aliado a dieta para emagrecer
O uso da medicação apenas pode facilitar a perda de peso, mas, se não houver mudanças do estilo de vida há chances de retomada do peso perdido.

Saiba mais: Remédio para emagrecer: os mais usados para perder peso
Todos os tipos de medicamentos para emagrecer só devem ser usados quando a adoção de uma alimentação mais saudável e a prática de exercícios físicos não mostraram resultado na perda de peso.

Quando o índice de massa corpórea (IMC) continua superior a 29,9 após o tratamento com reeducação alimentar, é indicado o uso de remédios para ajudar no processo de emagrecimento. Todo processo deve ser acompanhado de um profissional, como nutricionista, nutrólogo ou endocrinologista.

Leia também: Kifina funciona

As 06 crenças sobre sexo que pioram a ereção

Nem todos aqueles com problemas de ereção sofrem de disfunção erétil real . De fato, é possível que formas transitórias ou ocasionais desse problema envolvam a maioria da população masculina.

Até o momento, não há estatísticas claras sobre o fenômeno, mas cerca de 13 a 21% dos homens entre 40 e 80 anos relatam problemas ocasionais de ereção e cerca de 2% dos homens com menos de 40 anos admitem problemas recorrentes. Por várias razões, é possível, no entanto, que essas estatísticas não sejam confiáveis ​​e que a realidade seja muito diferente. Na obtenção de números sobre este tema, na verdade, duas dificuldades são encontradas: a primeira é que o sexo é um tema “sensível”, no qual muitos não querem se expor. A segunda diz respeito ao fato de que não é fácil avaliar a capacidade erétil de alguém sem cair em interpretações subjetivas. A objetividade da auto descrição, em outras palavras, não é de todo aceita como certa.

Cada um de nós tem inevitavelmente idéias sobre sexo influenciadas pela cultura de pertencer, pela própria fé religiosa, pelas experiências vividas em primeira pessoa, pelo confronto com os pares e pelos ensinamentos dos pais. O sexo é um dos temas de que estamos mais convencidos e talvez também o que mais nos confundiu.

Em particular, muitas visões masculinas sobre sexo e sexualidade tendem a ser disfuncionais , sendo influenciadas por mensagens sociais rígidas sobre masculinidade e habilidades de desempenho. E, como veremos em breve, tais crenças são muitas vezes a causa de problemas de ereção.

1 “Uma mulher pode não querer fazer sexo, um homem não faz!” Esta é talvez uma das idéias mais difundidas e ao mesmo tempo irracionais. É verdade que a excitação do homem segue caminhos bastante “diretos”, mas também ao homem, muitas vezes, acontece que não querem fazer sexo. De fato, o impulso sexual é influenciado por fatores como estresse, fadiga, preocupações, estado emocional. Problemas de casal ou pessoais, como os que trabalham, podem inibir o impulso por um longo tempo. Os homens que não aceitam essa realidade são muitas vezes aqueles que, mesmo quando não querem fazer sexo, impõem isso. Com resultados previsíveis.

2” No sexo é a performance que conta!” Quem tem essa crença iguala o sexo a qualquer outra atividade física, na qual o resultado depende do desempenho. A crença de que o sexo é uma espécie de “corrida para vencer” inevitavelmente leva a se concentrar mais nos aspectos de desempenho do que nos aspectos emocionais, emocionais e sensoriais que são, ao contrário, aqueles que produzem, ao mesmo tempo, relaxamento emocional e excitação. sexual responsável pela ereção.

3” No sexo, as mulheres olham para o desempenho!” Esta é outra ideia tipicamente masculina, está relacionada com a anterior e está entre as responsáveis ​​pela ansiedade de desempenho e pela sensação de estar sob escrutínio. Mesmo que, culturalmente falando, a diferença entre os dois sexos esteja se tornando cada vez mais fina, a maioria das mulheres vincula a atividade sexual à proximidade emocional com o parceiro. A “bravura” e a “duração” são frequentemente mais masculinas que as fixações femininas.

4” Todo contato físico deve levar ao sexo!” Outra crença masculina disfuncional é acreditar que, para as mulheres, o contato físico é sempre voltado para a atividade sexual. E isso inevitavelmente gera pressão porque nos leva erroneamente a acreditar que o parceiro faz exigências sexuais contínuas. É verdade, no entanto, que para as mulheres a maioria dos contatos visam a troca de afeto.

5” Durante a relação sexual, a ereção nunca deve falhar!” Esta é uma crença que deriva, pelo menos em parte, das idéias generalizadas sobre o prestígio físico. Na realidade, durante a relação sexual e também durante a penetração, as gotas na ereção são mais do que possíveis, uma vez que esta última é influenciada por inúmeros fatores além da estimulação sensorial. A preocupação de que a ereção sempre deve ser, no máximo, leva a se concentrar na ereção em si e isso pode piorar ou até mesmo impedi-la.

“O homem é a parte ativa no intercurso sexual!” Essa convicção deriva de uma ideia que ainda está muito enraizada no imaginário masculino e que, no sexo, o homem é ativo e passivo. Se isso já foi verdade, certamente não é hoje: em uma atividade sexual livre e consciente, os dois parceiros têm partes iguais. O homem que pensa o contrário será levado a sentir todo o “peso” de administrar o relacionamento. Daí problemas de estresse e ereção.

Se você quer acabar com um dos problemas mais recorrentes conheça o Destruidor de Ejaculação Precoce.

Clareamento Dental Caseiro

O que é o Clareamento Caseiro

O clareamento dental caseiro trata-se de um método alternativo para esse tipo de tratamento, podendo também ser associado ao clareamento a laser e possui acompanhamento médico. Isso garante ao paciente que ele está realizando um tratamento seguro.

O clareamento dental com moldeira ajuda a maximizar os efeitos do clareamento e a possibilidade de realizá-lo no conforto de sua casa. Além de ser um dos métodos mais utilizados, ele também oferece um preço mais em conta. Os resultados serão percebidos na primeira semana de tratamento se você seguir todas as recomendações de seu dentista.

Consultório de Clareamento Caseiro
No caso do clareamento caseiro para os dentes o consultório é a sua casa. Após uma ida ao consultório para analisar qual o melhor tratamento para você, o profissional vai indicar o modo de execução do tratamento. O procedimento é realizado diariamente com as moldeiras abastecidas com o gel clareador.

Moldeiras do Clareamento Caseiro
A personalização das moldeiras no clareamento caseiro são um diferencial da Clean Odontologia. Através de uma impressão dos dentes e da gengiva do paciente, realizada no consultório, o laboratório consegue reproduzir uma moldagem de gesso que servirá de modelo para a criação das placas de clareamento. Normalmente as placas são fabricadas em silicone flexível e confortável e são transparentes ou esbranquiçadas.

O clareamento dentário caseiro funciona a partir da aplicação da moldeira nos dentes com o gel branqueador. Elas podem ser usadas durante o sono com o peróxido de hidrogênio ou durante o dia com o peróxido de carbamida. O período de tratamento depende do paciente, mas com o uso do gel no período da noite há uma possibilidade de redução na quantidade do gel e dos dias de tratamento.

Leia também: WhiteDent funciona

Clareamento Dental em São Paulo
A clínica possui três consultórios na capital paulista, todas em pontos de fácil acesso da cidade. Contamos com uma estrutura adequada para receber os pacientes e equipamentos de qualidade visando uma maior comodidade. Ao especializar-se em atender pacientes traumatizados, a Clean Odontologia se tornou referência em São Paulo.

Impotência sexual: Quais as causas? Tem tratamento? Quais são os remédios para impotência?

Impotência sexual: Quais as causas? Tem tratamento? Quais são os remédios para impotência?

Está em busca de uma SOLUÇÃO NATURAL para impotência?
Muitos homens em todo o mundo enfrentam um problema que simplesmente acaba com a autoestima deles: a impotência sexual. Esse é um assunto muito sério, pois interfere diretamente no humor e na vida desses rapazes e senhores que passam por essa adversidade.

A impotência sexual não pode ser tratada como uma piada de mau gosto, ela é grave, pode causar ou agravar distúrbios psicológicos e fazer com que homens cheguem ao mais alto nível de desespero e falta de esperança.

Nos próximos tópicos, você que sofre de impotência sexual vai ter motivos para voltar a sorrir e ter uma vida em paz novamente. Descubra as causas, os tratamentos e como você vai se livrar, de uma vez por todas, da disfunção erétil!

Contents [hide]

1 O que é impotência sexual?
2 O que pode causar a impotência sexual?
3 Tem tratamento?
4 Remédios para impotência
5 Viagra
6 Cialis
7 Suplemento NATURAL para impotência
8 Benefícios
9 Funciona mesmo? Os resultados são comprovados?
10 Onde comprar?
11 Turbinando o Desempenho Sexual
O que é impotência sexual?
A impotência sexual ou disfunção erétil é a total incapacidade de manter o pênis ereto para o ato sexual. Não é um problema que ocorrer uma vez na vida, ou algumas vezes. A impotência não dá trégua, em mais de 50% das tentativas, o homem não conseguir realizar o ato sexual.

É por isso que ela é tão crítica e abalada profundamente o psicológico dos homens. O pior de tudo é que a impotência sexual não tem idade, pode atingir um idoso, como também um adolescente. Porém, ela é mais comum em senhores de 50 a 80 anos de idade.

O que pode causar a impotência sexual?
No caso dos homens mais velhos – de 50 a 80 anos – a causa tem a ver, principalmente, com a idade e o envelhecimento. O fluxo sanguíneo na região do pênis diminui bastante com o passar dos anos. Com isso, as chances de se ter impotência sexual são bem altas, já que a ereção ocorre exatamente por conta dessa circulação de sangue no órgão sexual.

Outra causa bem comum da disfunção erétil é a psicológica. Ela ocorre por questões relacionadas à ansiedade e à depressão. Porém, elas não são as únicas enfermidades que causam a impotência sexual.

Doenças paralelas como a obesidade, uso de drogas, álcool, insuficiência renal, diabetes e outras podem causar a impotência sexual. O uso contínuo de antidepressivos, antipsicóticos e anti-hipertensivos também pode ser a causa desse grave problema.

São várias as possibilidades, por isso é preciso conhecer a verdadeira causa para se indicar o tratamento correto para aquele tipo específico de impotência sexual.

Tem tratamento?
Independente da causa, todas as impotências sexuais têm tratamento e isso é uma forma de aliviar quem sofre com essa adversidade. Não se preocupe, você vai se curar da disfunção erétil, basta vontade, dedicação e confiar no médico e no tratamento indicado para você.

No caso dos problemas psicológicos são indicados medicamentos pelo psiquiatra e sessões com psicólogos e até mesmo sexólogos. Se a sua questão for uma doença paralela, o ideal é primeiro tratar essa enfermidade para depois começar a agir para acabar com a impotência sexual.

Se o seu problema for o envelhecimento, o mais indicado é o uso de medicamentos. Também pode ser feita uma cirurgia, em último caso, se o médico acreditar que essa seja a melhor solução.

O fluxo sanguíneo diminuído pode ser resolvido com uma pequena cirurgia que vai colocar uma espécie de ponte de safena no órgão sexual masculino. Porém, essa solução só pode ser feita em pessoas específicas, que não têm problemas cardíacos, pois ela pode ser perigosa.

Há também a possibilidade de se colocar próteses maleáveis e infláveis. Elas só são indicadas em casos bem mais graves, de total impotência sexual causada por um problema físico.

Remédios para impotência
Além dos remédios para o tratamento de doenças e enfermidades paralelas que podem causar a impotência, existem aqueles que são específicos para causar a ereção instantânea ou com o passar do tempo.

É o caso do Viagra, do Cialis e o do Levitra. Eles têm a mesma função, devem ser tomados com indicação e orientação médica, normalmente após as refeições ou 30 minutos antes da relação sexual.

Quem vai definir qual remédio para impotência vai ser usado e a forma como ele deve ser tomado é o próprio médico. Por isso, o melhor é sempre buscar ajuda especializada para se livrar desse grave problema.

Viagra
O mais famoso de todos os medicamentos deve ser tomado a partir de indicação médica. Ele pode trazer efeitos colaterais em cardíacos e, por isso, não pode ser ingerido por conta própria. Normalmente, os médicos indicam tomar um comprimido por dia após alguma refeição leve, ou duas horas antes do ato sexual.

Cialis
O Cialis tem um efeito bem mais duradouro, de 36 horas em que o homem pode ter ereções durante esse tempo, caso seja estimulado. A indicação mais comum é de se tomar um comprimido a cada 36 horas, ou seja, após passar o efeito do remédio.

Curar a impotência sexual é possível e você pode ajudar os seus amigos com esse problema ao enviar este texto para eles!

Suplemento NATURAL para impotência
Além dos tradicionais remédios para impotência que você encontra nas farmácias, também existem alguns suplementos naturais indicados para quem sofre com esse problema, e a sua maior vantagem é o fato de que eles não possuem os terríveis efeitos colaterais desses remédios. Um deles é o Duratron um produto que vem fazendo muito sucesso entre os nossos leitores e que tem transformado a sua vida sexual.

Elaborado apenas com ingredientes naturais e o seu sucesso se deve ao fato dele possuir uma fórmula exclusiva e que realmente funciona e traz benefícios para a saúde sexual masculina, fazendo com que qualquer homem se torne um verdadeiro touro na cama e proporcionando muito mais prazer para a sua parceira. Isso significa que você não precisa mais passar vergonha na cama, não precisa mais se desculpar por não conseguir uma ereção, e nunca mais terá que passar pela humilhação de não conseguir dar prazer para uma mulher.

CLIQUE AQUI E SAIBA MAIS

Ele age proporcionando mais saúde para os corpos cavernosos e com isso eles se tornam mais elásticos, fazendo com que o pênis consiga armazenar mais sangue. Isso faz com que a ereção seja mais forte e dure muito mais tempo, além de promover um leve aumento peniano. Além disso é importante falar que o Duratron vai te dar muito mais energia nas relações sexuais.

Leia também: Comprar Viagra Natural